Ambiente virtual de debate metodológico em Ciência da Informação, pesquisa científica e produção social de conhecimento

quinta-feira, 5 de julho de 2012

Base teórica

Copiado de PC Windows Fail
A base teórica é um elemento fundamental para a sustentação de qualquer pesquisa científica. É o que permite que um pesquisador seja capaz de situar seu problema e suas inquietações no âmbito das áreas de saber onde estão inseridas. No caso atual seria definir, por exemplo, os vínculos entre as pesquisa atuais dos pos-graduandos e a Ciência da Informação. A compreensão de qualquer fenômeno parte do próprio entendimento sobre a conceituação dele, que é definida, de modos distintos, por cada área do conhecimento e por cada tendência teórica dentro das áreas. A base teórica também é responsável por definir o foco com qual se formulará hipóteses para melhor entender a situação problema de cada pesquisa.

Para concluir a avaliação do item "a)" do programa TODOS os alunos deverão realizar duas atividades:
  1. indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa, após a conclusão desta disciplina (pode ser na forma de banner virtual, para quem já formatou um);
  2. <> definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual (01 página, máximo e mínimo).
Tais itens deverão trazer a identificação do aluno e do curso de origem ("mestrado UnB" ou "DINTER UnB-UFES").  

A avaliação de tais itens será feita pela profa. Sofia, que receberá os trabalhos por e-mail. 

Além da avaliação, os alunos ainda deverão postar as atividades referidas neste blog (ou as urls, no caso de estarem disponíveis em outros lugares virtuais, como blogs de pesquisa), como forma de estimular o debate e a troca de informação em nossa comunidade.

O prazo para conclusão encerra-se às 09h:29min do dia 16/07/2012, horário de Brasília.

45 comentários:

  1. a) M-UnB

    b) Nome completo: RÔMULO FERREIRA DOS SANTOS.

    c) Matrícula: 12/0065762.

    d) Atividades:

    1. indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa, após a conclusão desta disciplina (pode ser na forma de banner virtual, para quem já formatou um);
    http://arquitetoinformacao.blogspot.com.br/2012/07/principais-transformacoes-ocorridas-no.html

    2. definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual (01 página, máximo e mínimo).
    http://arquitetoinformacao.blogspot.com.br/2012/07/definicao-da-base-teorica.html

    ResponderExcluir
  2. a) o código "M-UnB";
    b) Alessandra Silva de Souza;
    c) Matrícula: 120065495;
    d)Atividades:
    Enviada por e-mail para professora Sofia dia 08/07/2012
    Postada no blog:http://alebuba.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Nome : Fernando A. de A. C. de Albuquerque

    Curso : Mestrado PPGCINF UnB

    Matrícula : 12065592

    ITEM A - Avaliação do aprimoramento ao longo da disciplina do projeto

    1) Material foi enviado via email para a Professora Sofia.

    Banner disponível no seguinte endereço:

    http://issuu.com/fernandoalbuquerque/docs/painel?mode=window&viewMode=singlePage

    2) Base teórica disponível em

    http://issuu.com/fernandoalbuquerque/docs/base_teorica?mode=window&viewMode=singlePage


    ITEM B - Avaliação da apresentação de reflexões sobre os tópicos discutidos

    1) Engenharia reversa na confecção de projetos de pesquisa - 22 de maio de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/05/engenharia-reversa-na-confeccao-de.html?showComment=1337716042962#c4286243675240060390

    2) Exercício de adaptação de projetos – 27 de maio de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/05/exercicio-de-adaptacao-de-projetos.html?showComment=1338129137662#c5850047048686615065

    3) Rio+20 ELAM – 13 de junho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/proximas-atividades.html?showComment=1339629715801#c4950249891561713500

    http://issuu.com/fernandoalbuquerque/docs/elam-mesa04?mode=window&viewMode=singlePage

    4) EAIPRIC/2012 da APQP está aberto – 14 de junho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/eaiproc2012-da-apqp-esta-aberto.html?showComment=1339701370142#c312764145637125028

    5) Porque fazemos ciência ? – 5 de julho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/por-que-fazemos-ciencia.html?showComment=1341463017734#c6140669546963378517

    http://issuu.com/fernandoalbuquerque/docs/reflexoesciencia?mode=window&viewMode=doublePage

    ITEM C - Avaliação da reflexão crítica entre ciência e ciência da informação

    Texto disponível no seguinte endereço:

    http://issuu.com/fernandoalbuquerque/docs/ciencia_ci_projeto?mode=window&viewMode=singlePage

    ResponderExcluir
  4. Nome : Gilberto Lourenço Fernandes
    Curso : Mestrado PPGCINF/UnB
    Matrícula : 12/065614

    As atividades relativas ao item a) da avaliação estão disponíveis no endereço abaixo:
    http://gilberto-fernandes.blogspot.com.br/2012/07/informacoes-basicas-sobre-o-projeto-de.html.

    Este material também foi enviado por e-mail para a Professora Sofia, em 09/07/2012, 22:36h.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Link complementar sobre a metodologia do projeto de pesquisa, também enviado por e-mail à Profa. Sofia, em 14/07/2012:
      http://gilberto-fernandes.blogspot.co.uk/2012/07/informacoes-metodologicas-sobre-o.html

      Excluir
  5. Isso é ciência?

    http://sciencesp.wordpress.com/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado anônimo,

      O ponto que seu link levanta não é sobre algo ser ou não ciência, porém sobre a questão da originalidade de publicações e o ineditismo, o que remete ao eterno debate sobre plágio e auto-plágio.

      O problema, no exemplo levantado, é de fundo ético, posto que o artigo de Botucatú foi publicado antes mesmo do envio ao periódico da Unicamp e não há nenhuma nota no segundo artigo indicando a ascendência do texto. É necessário ver, ainda, até que ponto a convergência de dois parágrafos explicativos sobre os modelos da pesquisa podem, ou não, caracterizar quebra de ineditismo da pesquisa. Sem dúvida teria sido muito mais tranquilo se a autora fizesse referência a si própria e repetisse tais textos, devidamente referenciados (supondo que sejam essas as únicas ocorrências de auto-plágio).

      Para ver mais sobre sobre a questão do plágio sugiro que acompanhe o instigante debate que o público, principalmente alunos de graduação, estão fazendo neste post. Já são mais de 100 comentários e mais de 9.000 acessos.

      Outra questão ética a ser debatida é o seu anonimato e a falta total de referências do blog linkado por você, bem como de autoria na nota sobre "similar content". Não basta apenas querer que os outros sejam éticos se não damos o exemplo... A era dos justiceiros anônimos e mascarados, guardiões solitários da moral e dos bons costumes já passou. Por favor identifique-se!

      Excluir
    2. Olá André Lopez,

      Eu acredito que o autor do blog que você se refere foi objetivo e demonstrou que há conteúdo semelhante nos dois artigos. Você viu que o artigo da UNESP tem um trecho semelhante com uma citação que falta no artigo da UNICAMP? Nos mesmos trechos semelhantes de cada artigo, há citação no texto da UNESP e falta no da UNICAMP.

      É possível desmentir os fatos? Se os fatos são desmentidos, desmoraliza-se o anônimo; se os fatos não são desmentidos, esse anônimo perde a importância e os fatos começam a vigorar.

      Excluir
    3. Desculpe a franqueza, mas seus argumentos para não se identificar parecem "conversa fiada" para alimentar alguma rusga departamental. O exemplo citado por você realmente não parece primar pela ética, mas sua atitude de divulgador anônimo da "verdade dos fatos" tampouco é louvável. Se você se preocupasse mais com a sua própria produção científica (e não com a dos outros) provavelmente nem teria percebido a atitude de sua colega. Exemplos ruins existem em todas as áreas. Eu não me preocupo com eles, procuro dar bons exemplos e enaltecer o que é meritório. Os cães ladram e a caravana passa!

      Excluir
  6. a) o código "M-UnB";
    b) Suzana Francisca da Rocha;
    c) Matrícula: 120065789;
    d)Atividades:

    1.http://cienciaeinformacao.blogspot.com.br/2012/06/breve-descricao-do-projeto-de-pesquisa.html

    2.http://cienciaeinformacao.blogspot.com.br/2012/07/fundamentacao-teorica-do-projeto.html

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. a)Mestrado/Unb
      b)Maria Ivonete Gomes do Nascimento
      c)Aluna especial
      d)Atividades:
      1 - Indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa;
      2- Definição da base teórica que embasa a pesquisa.
      Esses itens da atividade foram encaminhados para o e-mail da profa Sofia Galvão, em 12/07/2012.

      Excluir
  7. Marcelo Alves dos Santos12 de julho de 2012 10:27

    a) o código "M-UnB";
    b) Marcelo Alves dos Santos;
    c) Matrícula: 110071336;
    d)Atividades:

    http://cienciaeinformacao.blogspot.com.br/2012/06/breve-descricao-do-projeto-de-pesquisa.html

    http://eciti.files.wordpress.com/2012/07/baseteoricaprojeto.pdf

    Enviado para a Profª. Sofia em 12/07/12 às 10:25h

    ResponderExcluir
  8. Identificação: Rafael Henrique Santos Soares
    Curso de origem: mestrado UnB

    Atividade:
    Enviada para o email da Prof. Sofia em 12/06/2012 as 16:31
    e disponivel em: http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=42

    xxxxxxxxxxxx

    Atividades no blog (já enviadas no post "atividades avaliativas"):

    a) M-UnB
    b) RAFAEL HENRIQUE SANTOS SOARES
    c) Matricula: 12/0065738
    d)
    Reflexão: A laranja é produto da ciencia
    http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=16

    Reflexão: Forma x Conteúdo
    http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=18

    Reflexão: Empiricismo
    http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=24

    Comentario no post do blog da disciplina "Por que fazemos ciência?"
    http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=26

    Comentario no post do blog da disciplina: Edital EAIPROC
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/06/eaiproc2012-da-apqp-esta-aberto.html?showComment=1339701370142#c312764145637125028

    Comentario no post do blog da disciplina: Adaptação Frida
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/05/exercicio-de-adaptacao-de-projetos.html?showComment=1338241442497#c128782205118623435

    Comentario no post do blog da disciplina: Engenharia reversa
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/05/engenharia-reversa-na-confeccao-de.html?showComment=1338172317252#c5074548066700156335

    e) REFLEXÃO CRITICA (ITEM C): http://rafaelhenrique.net/informacao/?p=29

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Aluna: Kelly Cristina Wilhelm De Toni
    Curso: Mestrado UnB

    Atividades:
    1. Texto resumo com indicações de mudanças no projeto enviado por email a profa. Sofia no dia 12/07/2012 às 19h03min e 21h35min.

    2. Base teórica na url http://ciconectando.blogspot.com.br/2012/07/base-teorica-do-projeto.html

    ResponderExcluir
  11. ALUNA: DANIEL ALVES RIBEIRO GUIMARÃES
    CURSO: MESTRADO UNB

    ATIVIDADES AVALIATIVAS A

    1 - TEXTO RESUMO COM INDICAÇÃO DE MUDANÇAS NO PROJETO E BASE TEÓRICA, ENVIADO A PROFESSORA SOFIA NO DIA 12 ÀS 22:17.

    2 - BASE TEÓRICA TAMBÉM COM MUDANÇAS PARA COMPARTILHAR COM A COMUNIDADE NA URL: http://www.danielguimaraes.info/apps/blog

    ResponderExcluir
  12. Ana Claudia Borges Campos Wenceslau13 de julho de 2012 19:15

    ALUNA: Ana Claudia Borges Campos Wenceslau
    Curso: DINTER UnB/UFES

    Atividades avaliativas:

    1- Texto resumo na URL: http://mercadobiblio.blogspot.com.br/2012/07/breve-descricao-do-projeto-de-pesquisa.html

    2- Base teórica na URL: http://mercadobiblio.blogspot.com.br/2012/07/base-teorica.html

    Ambos os materiais enviados à prof.ª Sofia Galvão no dia 13/07 às 19:15.

    ResponderExcluir
  13. Meri Nadia Marques Gerlin
    Dinter UnB/UFES

    Atividades enviadas para o e-mail da profª Sofia Galvão no dia 14.07 às 02h23min:

    1- Resumo das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa: http://pesquisarenarrar.blogspot.com.br/2012/07/alteracoes-do-projeto-de-pesquisa.html

    2 - Definição da base teórica que embasa a pesquisa atual: http://pesquisarenarrar.blogspot.com.br/2012/07/detalhamentoda-base-teorica-profa-dra.html

    ResponderExcluir
  14. Lais Pereira de Oliveira14 de julho de 2012 11:00

    a) M-UnB
    b) Lais Pereira de Oliveira
    c) Matrícula: 120065657
    d) atividades: devidamente remetidas para o e-mail da profa. Sofia em 14/07 e detalhadas abaixo:

    1- indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa:

    Ao iniciar a disciplina “Metodologia da Pesquisa em Ciência da Informação”, muitas ideias até então presentes em meu imaginário enquanto acadêmica e pesquisadora foram modificadas. As principais transformações sofridas pelo projeto dizem respeito:
    a)à reorganização do enfoque da pesquisa, inicialmente direcionada para a “visão de gestores no processo de criação de espaços de aprendizagem e desenvolvimento de talentos em instituições financeiras”; a remodelação levou à exploração das universidades corporativas neste contexto, tencionando-se identificar fatores determinantes para tais instrumentos de aprendizagem, que condicionam o sucesso destes em conformidade com os propósitos organizacionais;
    b)à reestruturação do problema, que do questionamento “Quais os fatores considerados pelos gestores para o processo de concepção de universidades corporativas nas instituições Caixa Econômica Federal e Banco do Brasil?”, foi alterado para “Quais os fatores críticos de sucesso para o mantenimento de universidades corporativas em instituições financeiras públicas brasileiras?";
    c)à readequação dos objetivos, agora direcionados para a identificação dos fatores críticos de sucesso nas universidades corporativas do setor financeiro, locus da pesquisa em questão.
    As mudanças ocorreram a partir dos debates fomentados em sala de aula e das constantes leituras do pré-projeto, as quais tiveram na opinião emitida pelos colegas e professores da disciplina, uma forma de aprimoramento. A compreensão maior foi no sentido de ver a pesquisa como uma pequena contribuição no universo da Ciência da Informação, isentando-me da preocupação de realizar um estudo exaustivo e eminentemente abrangente.
    Além disso, pequenas observações às quais aparentemente não se deveria atribuir grande atenção fizeram a diferença, especialmente na reestruturação do problema de pesquisa. Nesta, teve-se o cuidado de evitar qualificativos e atentou-se para a pergunta que norteia a construção do problema: o “qual”.
    Vale ressaltar a principal mudança fomentada pela disciplina: o repensar sobre a própria Metodologia e o contexto de produção de conhecimento científico, que carregam consigo muitos mitos. Todo esse conjunto de modificações propiciou não só o aperfeiçoamento do projeto, como também verdadeira transformação na forma de pensar da pesquisadora, o que ocasionalmente influenciará na condução da pesquisa de agora em diante.

    ResponderExcluir
  15. Lais Pereira de Oliveira14 de julho de 2012 11:03

    a)M-UnB
    b)Lais Pereira de Oliveira
    c)Matrícula: 120065657
    d)atividades: devidamente remetidas para o e-mail da profa. Sofia em 14/07 e detalhadas abaixo:

    2- definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual:

    A pesquisa de mestrado intitulada “Universidades corporativas em instituições financeiras públicas” visa identificar os fatores críticos de sucesso para o mantenimento de universidades corporativas em instituições financeiras públicas brasileiras. Para atender a este objetivo geral, a base teórica do trabalho versará sobre o tema “universidade corporativa”, bem como sobre os assuntos correlatos, tais como aprendizagem organizacional, sociedade do conhecimento, gestão do conhecimento e educação corporativa.
    Parte-se do princípio das mudanças ora sofridas em termos sociais, econômicos, políticos, tecnológicos e culturais, o que Tarapanoff (2001) define como novo paradigma, que ocorre “quando são iniciados novos ciclos científicos, econômicos e tecnológicos, dentre outros, que por sua vez afetam e provocam mudanças em cascata: sociais, comportamentais e culturais, nas pessoas e nas organizações” (Ibid., p. 33). Conforme Alvares (2010, p. 12):
    Como resultado da economia e da sociedade atual, a empresa tradicional alçou as estratégias ligadas à geração, ao acesso e ao uso do conhecimento como essenciais para a sua sobrevivência. Isso significa que o acesso ao conhecimento global e a sua efetiva utilização para a competitividade empresarial são essenciais.

    Assim sendo, as organizações contemporâneas têm investido massivamente em processos de tratamento do conhecimento e de aprendizagem contínua, com vistas a propiciar as trocas de insights entre indivíduos e instigar o surgimento de novos saberes, que por sua vez possam ser aplicados na organização. A universidade corporativa – um dos instrumentos de ação da educação corporativa – vem exatamente ao encontro de tais necessidades organizacionais, posto que “personifica a filosofia de aprendizagem da organização, um modo de pensar que tem como meta oferecer a todos os níveis de funcionários o conhecimento, as qualificações e as competências necessários para atingir os objetivos estratégicos da organização” (MEISTER, 1999, p. 34).
    Ao longo do desenvolvimento da pesquisa, serão utilizados os seguintes autores: Tarapanoff e Alvares (2011), Eboli (2010), Ricardo (2009), Tarapanoff (2006), Silva (2004), Blass (2001), Davenport (2001), Meister (1999), Sveiby (1998), Nonaka e Takeuchi (1997).

    Referências

    ALVARES, Lillian Maria Araújo de Rezende. Telecentros de Informação e Negócios como Veículo de Educação Corporativa nas Microempresas e Empresas de Pequeno Porte. 2010. 247 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) – Universidade de Brasília, Brasília, 2010.

    MEISTER, Jeanne C. Educação corporativa. Tradução de Maria Cláudia Santos Ratto. São Paulo: Pearson Makron Books, 1999. 296 p.

    TARAPANOFF, Kira (Org.). Inteligência organizacional e competitiva. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001. 343 p.

    ResponderExcluir
  16. M-UnB

    Sérgio Coletto

    Matrícula: 12/0065771

    Atividades enviadas para o e-mail da profa. Sofia Galvão em 15/07 às 00h05.

    O texto enviado está acessível no link abaixo:
    http://issuu.com/SergioColetto/docs/avalia__o_metodologiaci/1

    ResponderExcluir
  17. M- UNB -
    Cristiane Basques matrícula 12/0065550

    Base Teórica
    (encaminhado para Profa. Sofia c/c Prof. André 14.07)


    Título da pesquisa: O Patrimônio Arquivístico Brasileiro: Ações e Omissões do Estado

    A pesquisa de mestrado em desenvolvimento parte de indagações sobre como ocorre, hoje, a proteção do patrimônio arquivístico brasileiro pelo Estado. Assim, indaga-se sobre quais as medidas promovidas pelo Estado para a proteção do patrimônio arquivístico brasileiro e quais são as lacunas existentes que impedem a eficácia dessas medidas. O objetivo geral da dissertação de mestrado é o de compreender o alcance e os limites da intervenção do Estado brasileiro na proteção do patrimônio arquivístico do país, tendo como período de pesquisa delimitado o marco legal da publicação da Lei de Arquivo (8.159/91) até 2011. O universo da pesquisa consiste em jornais impressos e internet; na legislação pertinente e nos atores institucionais envolvidos nas ações de proteção ao patrimônio arquivístico. Os procedimentos metodológicos consistem no levantamento quantitativo de reportagens sobre ações lesivas aos documentos de arquivo; identificação de ações de investigação sobre os casos no Ministério Público Federal, bem como as ações do Arquivo Nacional e do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.
    Para tanto, pretende-se inicialmente contextualizar a pesquisa na área da Ciência da Informação onde será trabalhado conceitos de informação a partir de Buckland(1991), Le Coadic (2004), Capurro e Hjorland (2007), Saracevic (1996).
    Na sequência e com base no entendimento de Jardim (1999, p. 89), que defende que a “Ciência da Informação tem necessidade não só de estudos teóricos sobre informação, como também de pesquisa que abordem as questões do Estado e das Políticas Públicas e suas relações com o cidadão”; também com base no entendimento de Indolfo (2008 p.142) que afirma que “os prováveis descasos para com a proteção aos documentos públicos envolvem aspetos não só criminais, como também de condições inadequadas de armazenamento, de procedimentos administrativos, culturais e educativos para garantir a segurança e a preservação da memória e do patrimônio nacional” e, no entendimento de Silva (1998 p.9), que afirma que “a preservação deve ser entendida pelo seu sentido geral e abrangente e seria uma ação que se dedica a salvaguardar ou a recuperar as condições físicas e proporcionar permanência aos materiais dos suportes que contêm a informação”, importante se faz trabalhar com autores que abordam conceitos de memória, patrimônio, preservação e conservação de acervos arquivísticos e de política arquivística, tais como: Gondar (2000), Le Goff (2003), Cunha (2004), Adorno (2007), Fonseca (1997), Menezes (1992), Richter (1997), Rabelo (2007), Choay (2001), Santos (1996), Castro (1991), Araújo (2002), Bolle (1984), Cólon (2000).

    ResponderExcluir
  18. M- UNB -
    Cristiane Basques matrícula 12/0065550

    ATIVIDADES REALIZADAS

    A) Postados no blog MetodologiaCI:

    1 - Atividade referente a mesa 04 do "Encontro latino americano de Mulheres". 11 de junho de 2012
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/proximas-atividades.html

    2 - Autofagia metodológica. 25 Jun 2012
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/autofagia-metodologica.html

    3 – Exercício de adaptação de projetos. 24 Mai 2012
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/05/exercicio-de-adaptacao-de-projetos.html

    4 – EAIPROC/2012 da APQP. 14 Jun 2012
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/eaiproc2012-da-apqp-esta-aberto.html

    5 - Por que fazemos ciência? 29 Jun 2012
    O link encontra-se disponível em: http://poeirab.blogspot.com.br/2012/07/para-que-serve-ciencia-afinal.html.
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/06/por-que-fazemos-ciencia.html

    6 – Engenharia reversa na confecção de projetos de pesquisa. 17 Mai 2012
    http://metodologiaci.blogspot.com/2012/05/engenharia-reversa-na-confeccao-de.html

    B)Postados em outros blogs:

    1 - Acesso à informação e sustentabilidade http://relatosdememoria.blogspot.com.br/2012/06/acesso-informacao-sustentabilidade-e.html (11 jun.)

    2 - Reflexões sobre ciência e projeto http://poeirab.blogspot.com.br/2012/06/reflexoes-sobre-ciencia-e-projeto.html (30 jun.)

    3 - Coisas de ciência http://poeirab.blogspot.com.br/2012/06/coisas-de-ciencia.html (30 jun.)

    4 - Pra que serve ciência afinal? http://poeirab.blogspot.com.br/2012/07/para-que-serve-ciencia-afinal.html (04 jul.)

    5 - O que mudou no meu projeto de pesquisa http://relatosdememoria.blogspot.com.br/2012/07/o-que-mudou-no-meu-projeto-de-pesquisa.html (08 jul.)

    6 – paper: reflexão critica ciência, ciência da informação, projeto: http://poeirab.blogspot.com.br/2012/07/paper.html (14 jul.)

    ResponderExcluir
  19. Aluno: Paulo Argolo da Cruz Rios Filho
    Nível: Mestrado FCI/UnB
    Matrícula: 12/0065720

    Item A da avaliação:

    Enviado por e-mail para os Professores André e Sofia no dia 14 de julho de 2012.

    Item B da avaliação:

    Abaixo os links das tarefas executadas e postadas no blog do Professor André:

    Porque fazemos ciência? - 5 de julho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/06/por-que-fazemos-ciencia.html

    AIPRIC/2012 da APQP está aberto – 14 de junho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/06/eaiproc2012-da-apqp-esta-aberto.html#comment-form

    Rio+20 ELAM – 13 de junho de 2012

    http://metodologiaci.blogspot.com.br/p/elam-mesa-04.html

    Exercício de adaptação de projetos – 27 de maio de 2012


    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/05/exercicio-de-adaptacao-de-projetos.html#comment-form

    Engenharia reversa na confecção de projetos de pesquisa - 22 de maio de 2012


    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/05/engenharia-reversa-na-confeccao-de.html#comment-form

    Item C da avaliação:

    As reflexões sobre as modificações introduzidas em meu projeto de pesquisa, ao longo das atividades desenvolvidas nesta disciplina, se sustentam em três pilares. O primeiro diz respeito ao impacto causado pelas discussões empreendias pelos dois professores durante as aulas. O segundo foi decorrência dos encontros de orientação realizados por mim junto ao meu professor-orientador Mamede Lima-Marques. O terceiro foi consequência da leitura do capítulo 3 do livro texto da disciplina, ou seja, “O olhar no espelho” de Eduardo Augusto Tomanik.

    Nas discussões que ocorreram em sala de aula, bem como nas tarefas realizadas ao longo do semestre letivo, pude perceber várias nuances que envolvem um trabalho desse tipo, que por razões óbvias, ou seja, a falta de conhecimento e experiência, passaram despercebidas durante a elaboração do pré-projeto. Ao contrário do que era esperado por mim, os professores não “ensinaram” a fazer dissertações e teses, mas estimularam os alunos a refletirem sobre suas pesquisas. Esse viés foi bastante impactante para mim num primeiro momento, chegando a me “revoltar” de certa forma. Com formação intelectual e bastante experiência na área de TI, onde tudo está escrito em manuais , onde existem normas, padrões e práticas para tudo, o enfoque dados pelos professores numa aula de “metodologia” não poderia ter sido tão impactante. Porém com o decorrer do tempo eu percebi que não estamos no mestrado para fazer tecnologia (prática) e sim ciência. Obviamente que toda ciência pode vir a ser praticada, porém como disse nossos professore “não estávamos ali para dar consultoria”.

    Nas discussões empreendidas com meu orientador, foi sugerido que eu despersonaliza-se meu projeto, ou seja, na visão dele uma dissertação, para gerar uma contribuição científica efetiva, não deve estar vinculada um determinado tipo de organização. É importante ressaltar que minha dissertação está situada na linha de pesquisa Organização da Informação/Arquitetura da Informação e contextualizada nas organizações sociais. No entendimento dele há a necessidade de que o estudo seja capaz de abranger qualquer tipo de organização, porém com foco bem definido para o tema e objeto de estudo. Sugeriu que a pesquisa fosse teórica, para contribuir com a Teoria Geral da Arquitetura da Informação, atualmente em gestação no âmbito do Centro de Pesquisa em Arquitetura da Informação (CPAI) da UnB.

    O terceiro pilar foi o capítulo 3 do Tomanik. Quem leu atentamente este capítulo e tenha refletido sobre o mesmo, com certeza passou a ter uma visão diferenciada sobre o que é fazer pesquisa. Texto bastante objetivo, não ensina a fazer pesquisa, aliás o mesmo viés dos professores, a sim estimula o leitor a fazer reflexões sobre o que está pesquisando. Após a leitura do livro, fica clara a razão pela qual o autor escolheu o título e o comentário que se segue ao mesmo. Considero até que este volume se tornará uma referência para consulta ao longo de minha pesquisa.

    ResponderExcluir
  20. M - UNB
    Cristiane Basques matrícula 12/0065550

    Banner
    (encaminhado para Profa. Sofia c/c Prof. André 14.07)

    complemento dos trabalhos postados:
    http://poeirab.blogspot.com.br/2012/07/patrimonio-arquivistico.html

    ResponderExcluir
  21. DINTER UnB/UFES
    Rosa Costa

    As atividades foram enviadas para o e-mail da professora Sofia Galvão, com cópia para o e-mail do professor André Porto Ancona Lopez no dia 15 de julho, às 18h20min:
    1- Resumo das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa (formato: texto e banner).
    2 - Definição da base teórica que embasa a pesquisa atual (formato: texto).
    3 – Pré-projeto: Versão antiga, entregue à banca de avaliação do DINTER e a versão revista após a disciplina.

    As atividades um e dois encontram-se também no Blog fotopesquisa: http://fotopesquisa.blogspot.com.br

    1- Resumo das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa:
    http://fotopesquisa.blogspot.com.br/2012/07/INDICAÇÃO RESUMIDA E SINTÉTICA DAS PRINCIPAIS TRANSFORMAÇÕES OCORRIDAS NO PROJETO DE PESQUISA

    2 - Definição da base teórica que embasa a pesquisa atual:
    http://fotopesquisa.blogspot.com.br/2012/07/ DEFINIÇÃO DA BASE TEÓRICA QUE EMBASA E CONTINUARÁ EMBASANDO A PESQUISA ATUAL

    ResponderExcluir
  22. DINTER UnB/UFES
    Janyluce Rezende Gama
    Atividades referente a letra “a” do programa da disciplina:
    Banner e base teórica: encaminhados para Profa. Sofia c/c Prof. André, no dia 15/07 às 20:36 h.
    As atividades encontram-se também no Blog Contabilidade Publica Descomplicada: URL - http://doutorajany.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  23. DINTER UnB/UFES
    Julia Bellia Margoto
    As atividades 1 e 2 referentes à avaliação do item "a" do programa da disciplina encontram-se no Blog Competência em Informação no Trabalho, nos seguintes links.

    Principais alterações no projeto de Pesquisa
    URL: http://www.cinotrabalho.blogspot.com.br/2012/07/principais-alteracoes-no-projeto-de.html

    Base Teórica
    URL:
    http://www.cinotrabalho.blogspot.com.br/2012/07/base-teorica-da-pesquisa.html

    Os arquivos também foram encaminhados para a Prof.ª Sofia Galvão, por email, em 15/07 às 23h.

    ResponderExcluir
  24. M-UnB
    Pedro Davi S. Carvalho
    Aluno Especial

    Resumo sintético das mudanças na abordagem da pesquisa e base teórica. Disponível em: http://issuu.com/carvalhopds/docs/teoria

    Enviado para a a profa Sofia em 16/07/2012 as 00:47.

    ResponderExcluir
  25. Dinter

    André Malverdes

    Atividades enviadas para o e-mail da profa. Sofia Galvão em 16/07 às 01h57.

    O texto enviado está acessível no link abaixo:
    http://gestaodocumentosufes.blogspot.com.br/p/pesquisa-dinter.html

    ResponderExcluir
  26. a) M-UnB

    b) Thayse Natália Cantanhede Santos

    c) Matrícula: 12/0065819

    1-indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa, após a conclusão desta disciplina (pode ser na forma de banner virtual, para quem já formatou um);
    O item foi respondido no seguinte endereço: http://curadoriadigital.blogspot.com.br/2012/07/curadoria-digital-como-modelo-de.html

    2- <> definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual (01 página, máximo e mínimo).
    http://curadoriadigital.blogspot.com.br/2012/07/fundamentos-teoricos-em-curadoria.html

    Enviado também à Professora Sophia.

    ResponderExcluir
  27. Luzia Zorzal
    Dinter UnB/UFES

    As atividades avaliativas foram enviadas para o e-mail da Profª Sofia Galvão Baptista, com cópia para o e-mail do Prof. André Porto Ancona Lopez, no dia 16/07/12.
    a) Pré-projeto com as alterações efetuadas após a disciplina de Pesquisa em Ciência da Informação (CI), ministrada pelos professores Drª Sofia e Dr. André, arquivo à parte);
    b) Indicação sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa no blog (http://pesquisadisclosure.blogspot.com.br/2012/07/sintese-das-principais-transformacoes.html)
    c) Definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual (parte da base teórica está melhor explicitada no pré-projeto (http://pesquisadisclosure.blogspot.com.br/2012/07/base-teorica-da-pesquisa.html)
    d) Reflexão crítica, que articule inter-relação entre Ciência e CI, sob a ótica de cada proposta individual de pesquisa, indicando possíveis alterações na perspectiva da pesquisa (http://pesquisadisclosure.blogspot.com.br/2012/07/reflexao-critica.html)

    ResponderExcluir
  28. Rachel Cristina Mello Guimarães
    Dinter UnB/UFES

    Atividades enviadas para o e-mail da profª Sofia Galvão no dia 16.07 às 03h50min:

    1- Resumo das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa: http://www.ontologiasci.blogspot.com.br/2012/07/alteracoes-do-projeto-de-pesquisa.html

    2 - Definição da base teórica que embasa a pesquisa atual: http://www.ontologiasci.blogspot.com.br/2012/07/base-teorica-da-pesquisa.html

    ResponderExcluir
  29. Achilles Pinto Brelaz.
    Aluno de Mestrado - UnB.
    Matrícula: 12/0065479.

    As atividades relativas ao item "a)" da avaliação estão disponíveis no endereço: http://blog.brelaz.com.br/?page_id=132.

    Este material também foi enviado por e-mail para a professora Sofia, com cópia para o prof. André Lopez, em 16/07/2012, 4:36h.

    As atividades referidas neste blog estão nos seguintes links:

    Comentários no Post "Engenharia reversa na confecção de projetos de pesquisa":
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/05/engenharia-reversa-na-confeccao-de.html?showComment=1337830827902#c7168241029517197729.

    Tarefa em grupo no Post "EAIPROC/2012 da APQP está aberto":
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/06/eaiproc2012-da-apqp-esta-aberto.html?showComment=1339701370142#c312764145637125028.

    Comentário no Post "Por que fazemos ciência?":
    http://metodologiaci.blogspot.com.br/2012/06/por-que-fazemos-ciencia.html?showComment=1341477595423#c4653201325985286212.
    Link externo deste comentário:
    http://blog.brelaz.com.br/?p=71.

    Comentário em link externo sobre o evento do Post "ELAM - mesa 04":
    http://blog.brelaz.com.br/?p=62.

    ResponderExcluir
  30. Kadidja de Oliveira
    Mestrado PPGCINF UnB
    Matrícula: 11/0105656

    Atividades enviadas para o e-mail da profª Sofia Galvão no dia 16.07 às 05h18min:

    1- Resumo das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa e definição da base teórica que embasa a pesquisa atual: e-mail Professora Sofia Galvão.

    2 - Reflexões sobre O que é Ciência. http://projetopapic.blogspot.com.br/2012/06/reflexoes-o-que-e-ciencia.html

    ResponderExcluir
  31. Michelli Costa
    Mestrado PPGCINF UnB
    Matrícula: 12/0065690

    Os textos foram postados neste espaço e enviados aos professores por e-mail.

    1. indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa, após a conclusão desta disciplina

    Reflexões sobre o que o projeto mudou depois da disciplina

    A proposta de estudo para o mestrado é sobre uma análise da qualidade dos repositórios institucionais (RI) da América Latina. Os RI são bases de dados construídas por uma instituição com o intuito de reunir, preservar e divulgar a produção intelectual de seus membros. Estas bases de dados tem peculiaridades especificas que foram pensadas e vem sendo discutidas pelo Movimento do Acesso Aberto. Tais características, passam pelo como deve ser sua estrutura tecnológica, o padrão de metadados e até a dinâmica de funcionamento. O conjunto de elementos que formam as características dos RI é alvo de discussão e estudo entre os teóricos da área e tem servido de medida para avaliar a qualidade destas bases, que em seu contexto representam também um serviço de informação. Na América Latina é crescente a quantidade de RI em desenvolvimento, mas percebe-se uma baixa pontuação destes serviços de acordo com sistemas internacionais de avaliação, tal como foi apresentado no último resultado do Ranking Web of World's Repositories .
    Considerando o contexto em que a pesquisa proposta se encontra, eu havia percebido a importância de pensar sobre como são avaliados tais serviços, para que o desenvolvimento destes seguisse padrões de qualidade internacionalmente aceitos. A princípio a proposta do estudo era uma análise de três métodos de avaliação de RI e a partir da investigação propor um novo instrumento que pudesse ser utilizado para o contexto latino americano. Desta forma, o trabalho seria composto pelas etapas de levantamento dos critérios de avaliação utilizados pelos métodos selecionados, discussão sobre os seus critérios e avaliação da operacionalidade dos critérios para a região da América Latina. A consideração de critérios para RI da região seria feito mediante um mapeamento das bases de dados e a aplicação de um instrumento piloto em uma amostra selecionada. A partir de então, seria elaborado um conjunto de critérios para a avaliação de RI na América Latina.
    Com a disciplina de Metodologia em Pesquisa em Ciência da Informação eu percebi, por um lado, a pretensão em querem eu mesma construir e validar um instrumento de avaliação para os RI da região e por outro lado como a discussão poderia ficar superficial e muito operacional. Por tanto, o projeto sofreu algumas alterações de modo que o objetivo geral passou a ser a análise dos elementos de avaliação e não mais somente sua identificação. No novo projeto, a intenção é investigar o que determina que uma dada característica torne-se um critério de qualidade para um serviço de informação neste contexto. Assim sendo, o escopo de análise teórica foi ampliado. Serão estudados cinco metodologias de avaliação de RI. A análise de seus elementos será de forma mais aprofundada e os atores a serem investigados serão os responsáveis pelos instrumentos, e não mais os gestores dos RI. Para a avaliação dos RI será utilizada uma adaptação da discussão analisada. A maior contribuição da disciplina para este estudo foi a percepção de que o projeto precisava se aprofundar mais na discussão teórica de modo a sustentar novas discussões ou ações que pudessem surgir futuramente em outros espaços.


    (pode ser na forma de banner virtual, para quem já formatou um);
    O poster foi enviado para o e-mail do prof. André e da prof. Sofia.

    O texto referente ao item 2 desta atividade esta em resposta à este post.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. 2. definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual (01 página, máximo e mínimo).

      Abordagens teóricas do projeto de mestrado

      A perspectiva de implantação e gerenciamento de repositórios institucionais será abordada a partir dos trabalhos de Leite (2009) que propõem a divisão da construção de repositórios institucionais em três etapas: planejamento, implementação e participação da comunidade. Essas etapas são apresentadas como estratégicas para a construção de um sistema global e aberto de gestão da comunicação da informação científica.
      No desdobramento dessa abordagem Costa e Leite (2009) apresentam experiências internacionais sobre o uso de repositórios institucionais, destacando o OpenDOAR (Directory of Open Access Repositories) como um possível indicador dados sobre a distribuição e consolidação de repositórios institucionais pelo mundo e desenha um panorama dos repositórios institucionais na Europa a parir de um estudo realizado pelo DRIVER (Digital Repository Infrastructure Vision for European Research).
      A nível nacional os trabalhos de Suney et al (2009), Rosa (2009) e Freitas, Silva e Guimarães (2009) apresentam grande potencial para contribuir com a proposta do estudo por relatarem experiências de construção e manutenção de repositórios institucionais em universidades federais no Brasil.
      Para o desenvolvimento da metodologia desse projeto, o trabalho de Pires e Miranda (2001) se colocam com de grande importância por propor uma forma de avaliação de repositórios institucionais brasileiros a partir do Guia para la evaluación de repositorios institucionales científicos, de forma a descrever suas situações e avaliar alguns critérios de qualidade. Nesse sentido, a abordagem de Pombal (2008) também apresenta fortes contribuições para o tema, seu trabalho tem como objetivo afinar a definição dos metadados dos repositório institucional da Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP) de acordo com a diretrizes DRIVER, de forma a tornar o processo de importação de metadados mais eficiente.

      REFERÊNCIAS

      COSTA, Sely M. S.; LEITE, Fernando C. L. Insumos conceituais e práticos para iniciativas de repositórios institucionais de acesso aberto à informação científica em bibliotecas de pesquisa. In: Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memórias, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009.
      LEITE, Fernando C. L. Como gerenciar e ampliar a visibilidade da informação científica brasileira: repositórios institucionais de acesso aberto. Brasília: Ibict, 2009.
      PIRES, Elisangela M.; MIRANDA, Angélica C. D. Repositórios brasileiros: avaliação das características através de critérios internacionais. Anais. Seminário de Pesquisa Qualitativa, 10. FURG. 13 a 15 jul. 2001.
      POMBAL, Bruno M. O. Análise da integração dos objcetos digitais do repositório da FEUP no repositório da UP. Universidade do Porto: Reitoria – IRIRC, 2008.
      ROSA, Flávia G. Implantação do repositório institucional da Universidade Federal da Bahia: uma política de acesso à produção científica. In: Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memórias, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009.
      SUNYE, Marcos et al. A experiência da UFPR na construção de repositórios digitais, a implantação integrada de ferramentas Dspace e Open Journal System. In: Implantação e gestão de repositórios institucionais: políticas, memórias, livre acesso e preservação. Salvador: EDUFBA, 2009.

      Excluir
  32. Rodrigo Gonçalves Calazans 10/05944
    Mestrado PPGCinf-UnB

    O objetivo da pesquisa é analisar o Arquivo e a informação como elementos chanceladores de verdades.

    Esta pesquisa está fundamentada nos estudos de “Ação de Informação”, vertente esta de estudo que está ancorado em pensamentos pós-estruturalistas e contemplam a Análise do Discurso como método para compreensão dos fenômenos sociais da CI. Essa perspectiva de estudo tem como principais autores Gonzáles de Gomes (1999), Frohmann (2004) e Freitas (2004).
    Para as ações de informação os fenômenos informacionais estão relacionados aos significados que as informações podem assumir (WERSIG; NEVELING, 1975), que geram semânticas e que é capaz de dar forma a um conhecimento ou, até mesmo, transformá-lo.
    Dessa maneira a informação ganha uma dimensão de empoderamento, pois ela faz parte de uma dimensão de seleção de conteúdos. Seus significados, então, ganham valores e dessa forma “se reúnem ora se contrapõem na constituição de um valor de informação.” (GONZÁLES DE GOMES, 1999, p. 3).
    Dentro dessa corrente de pesquisa a verdade não estaria no documento, ela estaria no discurso que se elabora sobre ele e esse discurso seria o gerador de “um poder documental”, pois a verdade estaria no que se afirma a seu respeito.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Referencias:
      BORKO, H. Information science: what is it? American Documentation, v.19, n.1, p.3-5, jan. 1968.
      FOUCAULT, Michel. A verdade e as formas jurídicas. Tradução Roberto Cabral de Melo Machado e Eduardo Jardim Moraes. Rio de Janeiro: NAU Editora, 2003.
      ______. A arqueologia do saber. Tradução Luiz Felipe Baeta Neves. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.
      FREITAS, L. S. Documento e poder: uma arqueologia da escrita. Morpheus, Rio de Janeiro, ano 09, n. 14, 2009. Disponível em: . Acesso em: 08 de maio de 2012.
      FROHMANN, Bernd. Documentation redux: prolegomenon to (another) philosophy of information. Library Trends, v. 52, n.3, p.387-407, 2004b.
      GONZÁLEZ DE GÓMEZ, Maria Nelida. O caráter seletivo das ações de informação. Informare, vol. 5, n. 2, p. 7-31, 1999. Disponível em: . Acesso em: 09 de abril de 2012.
      LE COADIC, Yves François. A Ciência da Informação. Tradução Maria Yêda F. S. de Filgueiras Gomes. Brasília: Briquet de Lemos, 2004.
      WERSIG, G., NEVELLING, U. The phenomena of interest to information science. The Information Scientist, vol. 9, n. 4, p. 127-140, dez. 1975.

      Excluir
  33. a) Programa de Mestrado/ UNB/2012
    b)Edeuzane de Fátima Pereira da Silva Steinmetz
    c)Matrícula: 120065584
    d)atividades: Enviadas para o e-mail da profa. Sofia em 16/07 e publicada abaixo:
    1-indicação resumida e sintética das principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa
    Meu pré-projeto inicialmente apresentava uma proposta de modelagem de processos de iniciação científica. Com a disciplina de Metodologia, na primeira etapa (aula da professora Sofia), aprendi que a proposta era muito ampla e que eu queria “resolver o problema do mundo”, conforme ela sempre dizia em sala de aula. Então fui construindo uma nova ideia baseado nas explicações dela e durante esse processo de aprendizagem passei por muitos conflitos comigo mesma, pois não queria mudar meu objeto de estudo que era produção científica, organização e registro do conhecimento feito pelos graduandos em IES privadas do Distrito Federal. Com a ajuda da professora Sofia, consegui chegar nesse tema: Qual a competência Informacional necessária para os discentes em IES privadas engajarem na Iniciação Científica? E durante as aulas da professora tive a oportunidade de organizar minhas ideias e estruturar minha pesquisa em etapas. Isso me fez pensar em um passo de cada vez e valorizar mais a base conceitual da minha proposta de pesquisa. Na segunda parte da disciplina, com o professor André, eu aprendi a duvidar de tudo que eu sabia. Novamente um conflito danado sobre tudo que eu havia aprendido antes sobre o meu tema, enfim, foi uma experiência espetacular porque eu me senti reconstruindo em mim, novas formas de pensar e de registrar meu pensamento de maneira científica. Nas aulas dele aprendi muitas coisas novas e principalmente aprendi a pesquisar mais e refletir. Pra mim foi mais que uma disciplina, foi uma oportunidade de aprender a aprender fazer pesquisa.
    2-Referência Bibliográfica
    CASTELEINS, M. V. L. Novas tecnologias, Novas Competências. Revista Diálogo. Educacional. V.3, n 5, p. 67-74. Janeiro/Abril de 2002.
    DUQUE, C. G. Uma abordagem ontológica para a indexação de documentos eletrônicos. Brasília, 2006. Disponível em: . Acesso em 28 set. 2011-11-03.
    DUDZIAK, E. A.. Information literacy: princípios, filosofia e prática. Ciência da Informação, Brasília, v. 32, n.1, p. 23-35, 2003. FISHER, Karen; JULIEN, Heidi. Information Behavior. Annual Review of Information Science and Technology, v. 43, p. 317-358, 2009.
    GASQUE, Kelley Cristine G. D. Arcabouço conceitual do Letramento Informacional. Ciência da Informação (Impresso), Brasília, v. 39, p. 83-92, 2011.
    KRESS, G., & Van Leeuwen, T. Multimodal Discourse: The Modes and Media of Contemporary Communication. London: Hodder Arnold Publication. 2001.
    LIMA-MARQUES, M. Ontologias: da filosofia à representação do conhecimento. 1. ed. Brasília: Editora Thesaurus, 2006. v. 1. 67 p.
    TARAPANOFF, K. (org) Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Brasília: IBICT/Unesco, 2006. VALENTIM, M. L. P.; GELINSKI, J. V. V. Gestão do conhecimento como parte do processo de inteligência competitiva organizacional. Informação & Sociedade, v. 15, n. 2, p. 1-12, 2005.
    TOMANIC, Eduardo. O OLHAR NO ESPELHO: “conversas” sobre pesquisa em Ciências Sociais.
    VAN WEGEN, Bert & DE HOOG, Robert. Measuring the economic value of information systems. Journal of Information Technology, v. 11, n. 3, p. 247-260, Sept 1996.
    VITORINO, E. V.; PIANTOLA, D. O Desenvolvimento da Competência Informacional: “Achados e Perdidos” no discurso dos profissionais da Informação dirigentes de Bibliotecas vinculadas a Instituições de Educação Superior (IES). XII ENANCIB - Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação. Brasília-DF. 2011.
    .
    3-Postagens
    http://www.projetopapic.blogspot.com.br/2012/06/reflexoes-o-que-e-ciencia.html
    http://www.projetopapic.blogspot.com.br/p/material-de-aula-informcao.html
    4-Reflexão crítica sobre ciência
    http://www.projetopapic.blogspot.com.br/2012/06/reflexoes-o-que-e-ciencia.html

    ResponderExcluir
  34. Programa: Mestrado UNB 2012
    Aluno: Julio Santillán Aldana
    Matrícula: 120071860

    --

    1) Indicação resumida em banner virtual:
    http://www.slideshare.net/santillan/peridicos-cientficos-de-acesso-aberto-em-amrica-latina

    2) Definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual:

    http://infomotion.wordpress.com/2012/07/16/fundamentacion-teorica-del-proyecto-de-investigacion/

    3)Postagens:
    http://infomotion.wordpress.com/category/notas-de-aula/

    ResponderExcluir
  35. DINTER UnB/UFES
    Aluno: Henrique Monteiro Cristovão

    Resposta da atividade referente ao item (c) do programa da disciplina.

    Reflexões acerca de Pesquisa em Ciência da Informação, disponível no blog: Competência em Informação - http://pesquisaci.blogspot.com.br/2012/08/reflexoes-acerca-de-pesquisa-em-ciencia.html

    ResponderExcluir
  36. DINTER UnB/UFES

    Aluno: Taiguara Villela Aldabalde

    I - Transformações ocorridas no projeto de pesquisa:

    1.1 Tipo de pesquisa
    É o tipo de pesquisa experimental: experimentação no sentido de produzir dados

    1.2 Campo, teoria e modelo
    No campo da Arquivologia (sub-área de Ciência da Informação): no sub-campo da Mediação Arquivística;
    Respeitando os modelos da Legislação Arquivística Brasileira;

    1.3 Base empírica
    Arquivo Público do Estado do Espírito Santo ligado a Secretaria de Cultura do Estado - Secult;

    1.4 Objetivos
    1.4.1 Produzir dados a partir de experimentos culturais para testar a hipótese da ampliação do Princípio de Respeito aos Fundos não só para organização de acervos, mas também da difusão cultural;
    Se não for confirmada a hipótese prova-se que arquivo, biblioteca e museu são iguais e merecem o mesmo tratamento - o arquivo seria um estoque onde pode haver música ou outra ação sobre ele sem nada se relacionar ao seus documentos;
    1.4.2 Produzir dados a partir de experiências culturais para servirem de um quadro referencial aos arquivos públicos em todas as esferas e poderes;
    1.4.3 Produzir um modelo baseado na Lei 8.159 para a entrada, processamento e saída de produtos culturais em arquivos;

    1.5 Justificativa
    1.5.1 Compreender o fenômeno da difusão cultural nos arquivos - Arquivo como apoio a cultura; Qual método para isto? Qual teoria há sobre isto? O Plano Nacional de Cultura 2011 já inclui os arquivos em suas metas, mas é preciso entender o fenômeno da difusão cultural nos arquivos.
    1.5.2 Produzir inovação tecnológica - no caso do Arquivo do Estado ainda não há inovação tecnológica, o que se faz são exposições e seminários; comparados aos arquivos franceses ou espanhóis onde Bellotto menciona existir rádio e TV, poderia se elevar a produtividade cultural e inovar – esta experimentação para inovar pode ser útil aos dirigentes de arquivos públicos;
    1.5.3 Produzir dados e um corpus teórico e metodológico a uma área escassa no país – No Brasil há quase que o total desconhecimento público da função cultural. A função cultural é tão complexa e reconhecida quanto: preservação, conservação, organização, descrição, eliminação dos documentos sem valor secundário que está contida na avaliação, e outras. A UNESCO e o Conselho Internacional de Arquivos defendem a função cultural nos arquivos desde a década de 50. No Brasil não há absolutamente nada no campo, nem um livreto sequer. A demanda provém da lacuna teórica e prática dos arquivos que nem sequer sabem como executar seu dever de dar apoio a cultura como está na Lei 8.159.

    ResponderExcluir
  37. II - definição da base teórica que embasa e continuará embasando a pesquisa atual

    ALBÁ, Mata, “Los documentos del archivo. Propuestas de difusión”, Archivos, ciudadanos y cultura, Anabad Castilla-La Mancha, 1999, pp.61-72.

    ALBERCH, Ramón, BOIX, Lurdes, NAVARRO, Natàlia y VELA, Susana, Archivos y cultura: manual de dinamización. Gijón, 2001.

    ALBERCH, i FUGUERAS, Ramón, “El marco de la función cultural en los archivos municipales”, XII Jornadas de Archivos Municipales. El archivo en el entorno cultural, Coslada, 1998, pp.31-35.

    ALBERCH i FUGUERAS, Ramón, BOADAS, Joan. La función cultural de los archivos. Euskadi: Gobierno Vasco, Departamento de Cultura, 1991. (Ikerlanak, 3)

    AGUINAGALDE OLAIZOLA, F. Borja de, “El archivero municipal como agente cultural. Reflexiones en torno a una problemática”, VIII Jornadas de Archiveros Municipales, Getafe, 1991, p.113-115

    BELLOTTO, Heloísa Liberalli. Arquivo e Sociedade: políticas e ações voltadas para a cultura e para a educação. In: Antônio Carlos Duarte de Carvalho (org.). Memória da Saúde. Desafios e Possibilidades do Trabalho em Arquivos e Museus de Ciência. 1 ed. Ribeirão Preto: FUNPERC-RP, 2006, v. 1, p. 41-52.

    _____________________., CAMARGO, Ana Maria de A. (coord.). Dicionário de Terminologia Arquivística. São Paulo: AAB-Núcleo Regional de São Paulo, Secretaria de Estado da Cultura, Departamento de Museus e Arquivos, 1996.

    _____________________. "Difusão editorial, cultural e educativa em arquivos". In: Arquivos permanentes: tratamento documental. S.Paulo: T.A.Queiroz, 1991. p.147-163.

    _____________________. Política de ação cultural e educativa nos arquivos municipais. Registro p.14-27- Revista do Arquivo Público Municipal de Indaiatuba, Indaiatuba (SP), ano 1, n.1, jul.2002.

    _____________________. Como organizar animação cultural e ação educativa em arquivos e bibliotecas. Material didático da Oficina da Associação dos Arquivistas de São Paulo. 28 e 29 de novembro de 2007.

    BENXAYER,Morrad . L’action éducative et culturelle des archives. Enquête sur les services éducatifs. chargé de l’action et de la diffusion pédagogiques et
    culturelles. Direction des archives de France.Département des publics. 2004.

    CHAVE, Isabelle(org.) Abrégé d’archivistique. Association des Archivistes français. Réédition 2012.

    LAROCHE,Carlo; Que signifie le respect des fonds? Esquisse d'une Archivistique structurale. Paris : Association des Archivistes Français, 1971

    MARTÍNEZ GARCÍA, Luis, “La difusión por la difusión. Algunas reflexiones personales en el campo de la difusión de los archivos”, Archivos, ciudadanos y cultura, Toledo: Anabad Castilla-La Mancha, 1999, pp.29-54.

    MERLOS ROMERO, Mª Magdalena, “Administración local y cultura: los archivos municipales”, XII Jornadas de Archivos Municipales. El archivo en el entorno cultural, Coslada, 1998, pp.213-222.

    ResponderExcluir
  38. Prezado prof. André,

    Segue a indicação dos links em que foram publicados os trabalhos enviados para o e-mail da profª Sofia no dia 16.07.12, com os acréscimos solicitados:

    Revisão da construção metodológica: http://cafeesnamesa.blogspot.com.br/2012/10/revisao-da-construcao-metodologica.html

    Principais transformações ocorridas no projeto de pesquisa: http://cafeesnamesa.blogspot.com.br/2012/10/principais-transformacoes-ocorridas-no.html

    Detalhamento da base teórica: http://www.blogger.com/blogger.g?blogID=8997397958302309438#editor/target=post;postID=6147828643428816333

    ResponderExcluir

Comente & argumente